Boa notícia ao povo do Maranhão: Inaugura sábado em Nina Rodrigues o museu Recanto dos Balaios

Uma boa notícia aos estudantes e apaixonados por história, inaugura neste sábado (09), em Nina Rodrigues, o “RECANTO DOS BALAIOS”, um museu com peças antigas e toda a história da guerra da Balaiada.

Localizado na fazenda Iguará, no encontro dos Rio Iguará e Rio munin, o Recanto foi idealizado por o senhor Baltasar de Carvalho Melo, amante de Nina Rodrigues e da história da Balaiada, e no sábado convida toda população para essa grande festa da cultura e história do Maranhão.

História da guerra da Balaiada

O antigo povoado da Vila da Manga iniciou-se no local chamado Fortaleza, antigo ponto obrigatório de passagem de boiadas com destino aos municípios de Icatu e Morros.

Manga, neste caso, não diz respeito à fruta, mas a uma estreita passagem para gado, uma espécie de corredor com paredes de varas que conduz a um rio e que serve para guiar bois.

O povoado da Vida da Manga do Iguará entrou definitivamente para a história política do Maranhão ao servir de palco para o episódio que deu início à revolta popular conhecida como “Balaiada” (1838 a 1841). Embora as causas mais profundas da Balaiada tenham sido a rivalidades políticas e econômicas entre brasileiros natos, conhecidos como “Bentivis” e quando uma boiada pertencente ao Padre Inácio, pároco da cidade de Arari, e conduzida pelo vaqueiro Raimundo Gomes foi apreendida pelo Subprefeito de Vila da Manga, inimigo político do pároco.

Os vaqueiros que levavam a boiada foram presos, entre eles um irmão do vaqueiro Raimundo Gomes. Este, que escapara da prisão por um atraso na marcha, tomou de assalto à cadeia, libertou seus vaqueiros e os demais presos e iniciou resistência armada contra o Governo da Província, chefiado por Vicente Camargo, partidário dos Cabanos.

Tropas foram enviadas para combatê-lo. Uma destas tropas invadiu a casa de Manoel Francisco dos Anjos, apelidado de “O Balaio” e violentaram barbaramente suas filhas.

Revoltado com a desonra, o Balaio conseguiu levantar em massa os moradores daqueles sertões, tornando-se junto com o negro Cosme, um dos maiores lideres da revolução. As batalhas se estenderam ao município de Brejo, Chapadinha e Caxias e apenas a intervenção das tropas comandadas por Luís Alves de Lima e Silva, futuro Duque de Caxias, conseguiu pela derrota dos rebeldes, impor a “paz” no Maranhão.

Deixe o seu comentário